Visita de Juizes Substitutos na Sede do Conselho da Comunidade de CG

Reeducação carcerária é tema de aula para juízes substitutos
02/10/2017 - 15:51




Na manhã desta segunda-feira (2), os 18 juízes substitutos que participam do Curso de Formação Inicial para Magistrados, promovido pela Escola Judicial de MS, conheceram a sede do Conselho da Comunidade de Campo Grande (CCCG/MS). Os visitantes foram recepcionados pelo juiz auxiliar da Vice-Presidência, Albino Coimbra Neto, e pelo secretário-executivo do Conselho, Nereu Alves Rios.

Na visita, os novos juízes puderam conhecer e tirar suas dúvidas sobre o CCCG/MS, que atua para viabilizar emprego às pessoas que estão saindo do sistema carcerário. “O preso saía, mas 95% retornava ao presídio. Assim, começamos a divulgar a ideia: precisamos empregar o reeducando para que ele não reincida”, ressaltou Nereu.

O juiz Albino Coimbra Neto ressaltou a importância das entidades que participam desse programa recebendo os reeducandos. “As entidades estão vendo hoje a importância da pena alternativa e, por consequência, nos ajudam na prestação de serviço comunitário – que é um serviço muito importante”, afirmou ele.

O CCCG/MS é constituído de um Conselho Diretor, composto por juízes, promotores e defensores públicos, e conselheiros de diversas instituições da sociedade como OAB, Conselho de Serviço Social, Conselho de Psicologia, Pastoral Carcerária, entre outros. Atualmente a promotora Regina Dornte Broch, da Promotoria da 2ª Vara de Execução Penal, é a presidente do CCCG/MS.

O Conselho acompanha atualmente 197 reeducandos, que trabalham em diversos locais parceiros do programa como, por exemplo, na limpeza do Parque das Nações Indígenas, na reforma de escolas públicas, na Embrapa, e em diversas empresas privadas.

Participaram também da reunião a secretária administrativa do CCCG/MS, Sueli de Melo Silva, e a secretária do CCCG/MS, Vanessa de Oliveira Franke.


Autor da notícia: Secretaria de Comunicação - imprensa@tjms.jus.br

Acessar Sistema

Este espaço é destino ao uso restrito dos funcionários da CCCGMS